Dando o pé na bunda de 2011…

É, 2011 está acabando mesmo… Não posso dizer que já vai tarde.

Vai no momento certo e vai deixar boas lembranças.

Já deu pra perceber que sou do tipo que faço um balanço de fim de ano, escrevo as tão amadas e odiadas “promessas”, hoje fiz faxina no quarto e no banheiro… realmente acredito que é um bom momento para reorganizar a vida e fazer planos para ano que está para nascer. Que fique bem claro: PLANOS, não PROMESSAS. Acredito que quando a gente sabe o que quer, já temos meio caminho andado. Muitas vezes mesmo o difícil é saber o que queremos. Ou quando decidimos, queremos muito pouco, queremos as coisas erradas. E tem coisa melhor para visualizar um plano do que colocá-lo no papel? Para mim, não!

Não adianta escrever no computador e tal… tem que ser no papel mesmo. E este ano, para ajudar, ganhei da minha amiga do Pablo Picante – a Fran – me deu um presente sensacional! Um caderninho de capa dura (não sei como chamar, mas caderninho de capa dura parece muito pouco para o que ele é, fato) a capa é toda colorida, tem uma parte da pintura de um mosteiro tibetano! Atrás tem um dragão! Achei ma-ra-vi-lho-so! E nada melhor para rabiscar planos para o próximo ano!

A capa do "caderninho" MARA que ganhei da Fran!

Enfim, 2011 é um ano que ficará para a história! Afinal, foi o ano que vim pra Dublin e por causa disso você está lendo essas baboseiras todas, senão “provavelmente” eu não teria um blog chamado: Intercambiar em Dublin! hehe

Mas não só por isso! O ano já começou bem com o reveillon passado nas areias de Copacabana. Os fogos, a cidade maravilhosa, toda a emoção de uma das viradas de ano mais bonita do mundo! Foi inesquecível!

A vontade de fazer diferente estava lá, pulsando junto com a contagem regressiva…

Pra falar a verdade, essa vontade tinha nascido – acredito eu – quando viajei para Bonito MS. Jamais conseguiria explicar o porquê exatamente. Mas foi a minha primeira verdadeira viagem de férias, a primeira vez que viajei de avião, lugar de uma natureza exuberante, alucinante, apaixonante! Como nosso país é lindo! E lá eu conheci tanta gente bacana, um povo cheio de vida, com vontade de viajar e conhecer o mundo. Pessoas incríveis! Muitos contatos se tornaram amizades que mantenho até hoje. Tudo isso fez reacender dentro de mim uma vontade inadiável de viver a vida.

Daí chegamos em 2011, um ano que cresci muito. Um ano que  resolvi me apaixonar… profunda,  perdida e  profundamente. Me apaixonar pela pessoa que mais vale a pena no mundo:  me apaixonar por mim mesma!

Percebi que era o momento que eu podia fazer isso. Nem antes, nem depois, o momento era o “agora”!

Comecei a pensar em tudo o que eu sempre tive vontade, mas – por um motivo, ou por outro – nunca havia tido a oportunidade de fazer por mim.

Entre crescer profissionalmente, ganhar mais dinheiro, voltar pra Seicho No Ie, ajudar a reativar o Departamento Feminino da Regional Lapa, ir pra BH visitar a melhor amiga de infância que não via há mais de 11 anos e passar dias incríveis por lá (Amor incondicional é um trem que não conhece distância, nem tempo, nem barreira nenhuma, sô!), reativar definitivamente a amizade com uma pessoa que é mais que especial na minha vida (meu companheiro nas brejas e que eu posso contar em todos os momentos da vida, o Jão!), botar uma mochila nas costas em várias sextas-feiras do ano e passar o final de semana como uma nômade visitando os amigos que moram do outro  da cidade, sem desculpa de falta de tempo e-ou da loucura de se morar em São Paulo, não economizar risadas, abraços e beijos na família e nos os amigos,  ir pro nordeste com a mega friend Déia (mais paisagens incríveis, mais risadas, mais amor incondicional e uma história de “as mais famosas no Aquário” rsrssr), fazer vários  tratamentos cosméticos, depilação a laser, cuidar de um dente que me incomodava, lentes de contato, mudar o cabelo,e “otras cositas mas”, ressurgiu uma ideia que nunca havia sido realmente amadurecida: fazer um intercâmbio!

É, se tinha algo que eu podia fazer por mim era organizar minha vida: pessoal, familiar, profissional e financeira, para me dar o direito de ir morar fora. Conhecer o mundo, como eu sempre sonhei. O mais engraçado é que acho que eu pensava que realmente era um sonho. Um sonho pra ser sonhado e só. E quando eu comecei a pesquisar coisas e colocar na ponta do lápis (eu faço isso de verdade, adoro escrever à mão e precisar ser com o lápis! Comigo é “na ponta do lápis” mesmo”! kkkk) … então, quando fazia as contas eu me pegava pensando “Bicha loka, deixa disso… não vê que cê está brisando? Para de ficar viajando na maionese que quando cair, o tombo vai ser feio!”

Como você pode perceber, baixa um espírito de “mano” quando estou brigando comigo mesma! kkkkkk…

Enfim, muitos de meus amigos já conhecem essa famosa frase da minha mãe, mas para quem não conhece, aí vai: “Quem tem a vontade, já tem a metade!”

E como a mesma véia sempre diz: “Você é uma menina cheia de vontades”!

Fechô, manô!

Juntei a cara, a coragem, um cadim de dindim e cá estamos nós!

 

Esses dois primeiros meses em Dublin já serviram pra mostrar o quanto crescerei e aprenderei neste lugar.

Oro, planejo e me movo (e quando eu me movo, o mundo se move) para que 2012 seja um ano repleto de grandes pessoas na minha vida! Por que no fim é isso que mais amo: conhecer, conversar, abraçar, rir, rir e rir junto (gente, estou ficando muito conhecida pelas minhas gargalhadas! Fazer o quê, né? 😉 ), ajudar, me apaixonar, ouvir histórias, contar histórias… de, para, com… pessoas!

Amo gente! Amo as pessoas que fazem parte da minha vida!

Estar longe me faz sentir saudades, mas também me faz sorrir (de novo!) ao me lembrar de tantos ótimos momentos, de tanta gente especial eu conheço, de como sou sortuda por ter a oportunidade de conhecer, amar e ser amada por pessoas tão incríveis!

O pensamento é força criadora! E eu penso com muito carinho e envio os melhores votos para cada um que é mais do que um amigo ou parente, cada um que faz parte da minha história e mais, faz  parte do que sou hoje!

Muito obrigada!!!

Ah, e eu tenho muito orgulho de ser quem eu sou! Só pra ficar claro! 😉 hihi…

Feliz 2012 para todos os meus amigos e leitores!

 

PS: Desculpe os eventuais erros, estou com sono e me recuso a revisar!

Não sei se me motorizo ou compro uma passagem pra Dublin

Foi mais ou menos assim que tomei a decisão de fazer meu intercâmbio. Vontade, ah essa já existia faz tempo. Conhecer o mundo, aprender muito, de muitas formas e em diferentes lugares. Só isso já é motivo mais do que suficiente para sonhar em morar fora. Mas vamos lá, por que comprar um carro ou ir pra pro exterior?
Eu amo minha cidade. Sério mesmo! Sou paulistana e tenho muito orgulho disso. Mas sofro demais com o trânsito dessa megalópole. Sofro, o trânsito me destrói, os ônibus cheio conseguem me tirar do sério, calor humano, desrespeito com a população que deixa metade de seus ganhos em impostos, total falta de estrutura para o crescimento desenfreado da cidade e seus arredores… enfim… acreditava que comprando um carro seria algo do tipo “seus problemas acabaram!”. Mas aí passei a observar quem dirige na cidade. Um bando de estressados! Rsrs… o mesmo trânsito, a diferença é que não tem o calor humano. Mas você também não pode ler (o que é possível caso você consiga um milagroso lugar pra sentar no busão), ao contrário, é preciso atenção total. Porque mesmo fazendo tudo certo a possibilidade de você se envolver em um acidente no trânsito de Sampa é bem alta.
Mas que post mais pessimista! Principalmente para um 1º post!
É verdade… só sei que por tudo isso e mais um pouco decidi: ta na hora de tirar um ano pra mim!
E é isso que irei fazer.
Está chegando!
Embarco dia 15/10.
Escola paga, passagens pagas, seguros comprados, primeira hospedagem paga, euro… bem o euro é um safado que não para de subir…
Ontem foi meu último dia no trampo. Agora terei (espero) tempo para escrever aqui.
Pretendo ajudar quem pretende encarar a mesma aventura que eu. Afinal, blogs me ajudaram pra caramba. Com dicas, passo a passo de intercâmbio pra Irlanda e as experiências de cada um que é o mais legal.
É o mais legal principalmente porque é o que você mais vai encontrar por aqui. Blé!

Prometo que em algum momento (em breve) conto o tão procurado: passo a passo do intercâmbio para Dublin! rsrsrs…

Não posso deixar de fechar esse 1º post com a conversa que tive ontem cedo com minha mãe.
Situando: as duas se arrumando pra ir trabalhar. Meu último dia no trampo. Começo da contagem regressiva dos últimos 15 dias. Na noite anterior conheci pessoalmente um rapaz que também vai pra Dublin, pessoa gente boa demais, mas bastante ansioso o que me contagiou.

Eu: (na porta do banheiro, tirando a remela do olho) “Nossa, essa noite não dormi direito. Acordei assustada, achando que era super tarde, porque o rádio estava desligado e quando olhei o celular não eram nem 6 da manhã.”
Mãe: (no banheiro, passando chapinha no cabelo) “Você está nervosa porque hoje é o último dia…”
Eu: (tentando fazer drama) “É mãe, ta chegando!”
Mãe: (quebrando minhas pernas) “Ué, você marcou, uma hora tem que chegar!”

Por que eu tenho uma mãe tão madura?

PS:ah, e hoje tem show do SOAD pra exorcizar TUDO! rsrsrsrs…