Pode ser sorte, pode ser azar… Parte VI

Ufa, chegamos no ultimo post da saga…
Quer dizer, pegadinha!
Eu pensei que era o ultimo… mas voces vao ter que me aturar mais um cadim, so!
Bem, mais uma vez desempregada! Ja estava virando moda. E eu estava cansada. Cansada de bater perna, cansada de fazer cara (e ter de ser de verdade) hardwork, cansada de prever que ia dar merda de novo. Estava comecando a bater um pessimismo. E eu nao sou uma pessoa pessimista. Era comeco de julho e eu nao sabia o que queria fazer.
Meu ingles nao tinha melhorado muito e eu comecei a pensar seriamente na ideia de ser aupair. Sem a pressao de restaurante, o servico nao era tao pesado e eu poderia praticar ingles. Tanto com os pais, como com a crianca, se fosse ja grandinho.
Bora la! Fiz o cadastro em uns dois sites e uma pagina do facebook. Um deles, é claro, era o site da tal Greice. Uma brasileira que é famosa em Dublin por conseguir posicoes de aupair para meninas.
As opinioes das pessoas que conheco, sao contraditorias. Devo dizer, que a maioria é grata pela oportunidade de ter conseguido uma vaga. Outras, a acham um tanto gananciosa, pois cobra das familias e das aupair uma taxa (que convenhamos, pelo salario das meninas, nao é nada barato).
Mas o fato é que ela tem muitas indicacoes e a maioria das aupairs que conheco, conseguiu por ela.
Feito o cadastro, fui convidada para um workshop com a tal da Greice. Opa, bora la. No comeco ela queria cobrar uma taxa, mas depois, com as varias desistencias, ela reconsiderou e fez for free. Era o primeiro workshop oferecido por sua agencia.
Foi um dia interessante. Uma palestra ministrada por uma psicologa. Dinamicas em grupo. Simulacoes de entrevistas com a familia. Depoimentos de quem vive, ou viveu, uma vida de aupair. Bem preparado, bom material didatico, um coffee com varios quitutes. Eu aprovei.
Mas nao aprovava as propostas que recebia. Depois que voce completa o cadastro, a Greice comeca a enviar mensagens por sms pro seu celular. Com a descricao da familia (Ex: Irish, mae fica em casa…), quantidade de “anjinhos” e idades (4 kids: 5, 4, 2 e 3 meses) horario (seg a sex, 7:30 as 9:30 e 13:30 as 18:30) dia e horario da entrevista, nivel de ingles exigido, algumas vezes se existe atividade extra (alem de cuidar das criancas e das coisas das criancas) e o salario semanal. Era ai que a porca torcia o rabo. Eu ja tinha minha casa, minha privacidade, minha vidinha. E a maioria das vagas eram pra ser live in, ou seja, morar com a familia. Em localidades distantes do centro de Dublin, ou no interior, e para ganhar em torno de 100 a 120 euros por semana.
Bem, considerando que voce nao tem gastos com moradia, contas, comida, talvez nao seja tao pouco. Mas pra mim, era. Pouco pra voce perder sua privacidade, ter que comer a comida que outra pessoa escolheu e preparou (e comida pra mim, é um caso serio), morar no trabalho, poder visitar seus amigos so nos fins-de-semana. E olhe la, porque a passagem pra voltar pra Dublin poderia sair tao cara, que muita gente ate desiste de voltar sempre.
Nao, definitivamente nao era o meu foco. Precisava melhorar meu ingles, é verdade. Mas ao mesmo tempo, queria ter minha vida, meus amigos, meu espaco, meu dinheiro. Queria viajar! A vida financeira de uma aupair, nem sempre, permite fazer muitas viagens. Descobrir que ser aupair na Irlanda pode ser uma carreira. Se voce possui boas referencias e experiencia, pode conseguir salarios melhores e ser babysister (que cuida das criancas esporadicamente, mas tem um salario por hora muito mais alto e pode cuidar de varias criancas) ou nany (uma baba especializada, que deve ter mais didatica. Nao so brincar, mas ser tambem uma educadora).
Enfim, eu nao tinha esse tempo, nem essa ambicao na Irlanda. Meu foco era outro. Por isso, acabei desistindo da ideia de ser aupair, sem ter participado de uma entrevista sequer. Nhé!
Acho super valido pra quem tem esse interesse. Conheco gente que adorou a experiencia. Acabou se tornando quase parte da familia, amava as criancas, melhorou o ingles vertiginosamente, com sotaque irlandes e tudo, teve mais contato com a realidade e cultura Irish.
Eu nao tive nada disso. Mas tenho outras historias pra contar.
Bom, por hoje fica essa de “quase-ser-aupair”.
A proxima, espero eu, sera a ultima parte desse assunto que “empobrece, emburrece e mata”. Mais conhecido como trabalho.
#alguemesquentemeusdedinhoscongelados
PS: Ah, ontem nevou aqui no sul da Italia! Primeira vez que vejo neve. Na montanha. Lindo! A explicacao para a #. Ta frio, po!

Anúncios

2 comentários em “Pode ser sorte, pode ser azar… Parte VI

  1. Larissa (Sister) disse:

    I’m loving this posts and I doubt you going to finish on next post, it’s awesome to know what happened to you while you stayed there. I’m waiting for more posts.
    Love you.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s